sexta-feira, 6 de junho de 2014

SEGUNDO O DATAFOLHA, DILMA TEM HOJE 34% DOS VOTOS, AÉCIO NEVES 19% E EDUARDO CAMPOS 7%. 26% DOS ELEITORES AFIRMAM QUE VOTARIAM NO CANDIDADO APOIADO PELO MIN. JOAQUIM BARBOSA





Pesquisa divulgada hoje, 06 de junho de 2014. pelo Datafolha aponta que se as eleições fossem hoje a presidente Dilma teria 34% dos votos, Aécio Neves 19% e Eduardo Campos 7%. Esse resultado indica que enquanto a presidente Dilma cai nas pesquisas, os seus principais adversários não conseguem avançar na mesma proporção. São fatos estranhos que estão acontecendo em relação ao pleito de 2014.

            A pesquisa mostra ainda que hoje o ministro Joaquim Barbosa poderá ser o fiel da balança nas eleições presidenciais de 2014, uma vez que segundo levantamento do Datafolha, 26% dos eleitores pesquisados afirmam que votariam num candidato apoiado ou indicado por ele. Como se vê, é hoje uma força indiscutível. E isso mostra a importância do julgamento do mensalão para o povo que reivindica mais punição para os responsáveis pelos crimes de desvio de dinheiro público.

            Particularmente entendo que o trabalho do ministro Joaquim Barbosa foi essencial para o desfecho do processo do mensalão. Sem ele, talvez ainda hoje nada tivesse sido julgado. E talvez o processo nunca chegasse ao fim. Portanto, o ministro mostrou competência e coragem para enfrentar poderosos. E isso é fundamental para que a Justiça seja aplicada na sua plenitude. Por tudo isso ele é hoje reconhecido pela sociedade que não suporta mais tanta tolerância em relação aos descasos com o dinheiro público. 

            Como não poderia deixar de ser, a fragilidade na economia é hoje outro ponto que preocupa o eleitor. Segundo a pesquisa Datafolha, 36% dos entrevistados acreditam que a economia tende a piorar daqui para a frente. Sobre esse aspecto já fizemos inclusive  um artigo, mostrando o provável impacto que a fragilidade na economia terá na votação da presidente Dilma.         

Um comentário:

Valdim Souza disse...

Pelo andar da carruagem o candidato que receber o apoio do Ministro Joaquim Barbosa, poderá decidir a eleição presidencial no 1º turno.